Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
domingo, 2 de março de 2008

Os telhados de vidro da Evolução

O Membro Sénior do Discovery Institute, David Klinghoffer, tem um interessante artigo seu publicado na recente revista Townhall Magazine, em que ele analisa se os cientistas realmente são ou não são livres para investigarem o design inteligente. É evidente que os críticos do DI alegam que a liberdade académica reina de forma suprema:


Perguntei a líderes das críticas ao DI se aqueles que duvidam de Darwin enfrentam obstáculos, para além da força ou fraqueza do próprio DI, para pesquisarem e testarem as suas ideias. Kenneth Miller, um biólogo da Brown University, enviou-me um email com uma resposta assoladora: "A conclusão do 'Design' deve seguir-se a uma investigação bem-feita em genómica comparativa, biologia molecular, expressão genética e bioquímica. Não há, como certamente sabe, nenhum obstáculo a essa investigação."

Francisco Ayala, um biólogo da Universidade da Califórnia, Irvine, foi categórico: "Não posso imaginar qualquer cientista sério ou administrador académico a tentar dissuadir ninguém de levar a cabo qualquer projecto de investigação bem concebido."


Mas os cientistas que sofreram as consequências de terem desafiado o dogma darwinista contam uma história muito diferente.

Quem ainda não tem estabilidade académica concedida pela instituição vai, em regra, falar apenas sob a condição de que nem o nome deles nem o da sua instituição apareçam. Perguntei a um desses cientistas se se sentiu livre para seguir com os seus interesses de investigação relacionados com o DI. Ele disse, "Não, absolutamente não. Isso representa um problema para mim."


E,

Outro biólogo contou como, imediatamente após o seu interesse no design inteligente se tornar conhecido, ele ficou sem o seu espaço de laboratório. O assistente do director do estabelecimento enviou-lhe um email dizendo que, devido a imprevistas "limitações de espaço", ele tinha de saír dali a duas semanas.

Questionado sobre as declarações dos críticos do DI de que a investigação crítica de Darwin pode ser realizada livremente, o biólogo riu-se. "Essa é uma grande piada", disse. Ele explicou que a ciência profissional é "movida pelo prestígio e os [cientistas] não querem uma 'falha' no seu prestígio. É bom para si impressionar seus pares, pelo que você acaba se mostrando relutante em comprometer isso".


Você pode ler o artigo todo aqui.

E se você quiser fazer alguma coisa para ajudar, você pode assinar a Petição de Liberdade Académica.


(por Robert Crowther)

0 comentários:

Postar um comentário





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução