Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
domingo, 26 de fevereiro de 2012

Dawkins diz que é agnóstico

Dawkins disse ao Arcebispo da Cantuária que prefere ser chamado de agnóstico do que de ateu.

Os dois homens falavam publicamente na Universidade de Oxford no fim de uma semana de debates sobre o papel da religião na vida pública britânica.



Mas ainda há pouco tempo ele lançava um apelo a todos os ateus para tornar públicas as suas crenças e para lutarem de forma agressiva contra a incursão da religião na politica e na educação.

Será que os agnósticos a quem normalmente se reconhece a tolerância, vão assumir a responsabilidade pela intolerância de Dawkins - e pela intolerância dos novos ateus em geral?
Será que os agnósticos gostavam de ter Dawkins a falar por eles?

2 comentários:

  1. Tolice. Ele diz que é um 6.9 na escala Dawkins. Ou seja que a probabilidade de Deus existir é muito, muito, baixa. No mesmo livro ele diz que ele não pode estar certo de que fadas ou duendes existem e coloca Deus na mesma probabilidade. E agnóstico não se opõe ao ateu. Ateu é aquele que não *acredita* que Deus existe. Portanto se você perguntar para alguém : "Você acredita que Deus existe?" e a resposta for não, então esse cara é ateu. Se você perguntar para uma pessoa se ela *SABE* se deus existe ou se alguém tem como saber e a resposta for NÃO então essa pessoa é agnóstica. Portanto são duas perguntas diferentes. É por isso que existem ateus agnósticos. Raros são os ateus que quando pressionados afirmam SABER que não existe um deus, eles só não acreditam que exista. Mas deus (com D minúsculo) é um termo muito genérico. Significa saber qualquer deus imaginável, possa mesmo existir. Mas quando se usa Deus (com D maiúsculo) esse em geral é o assumido Deus cristão/judaico. Nesse caso é possível afirmar com certeza que ele é uma invenção de homens da idade do bronze. E há evidências para suportar essa afirmação. Livros como Uma História de Deus de Karen Armstrong demonstram por exemplo como o deus (Yahweh)surgiu no panteão dos cananeus e foi pouco a pouco se tornando o deus predileto, até que finalmente se tornou o único deus. Essas alegações são suportadas também por evidencias arqueológicas. Se os crentes aceitam tais evidências é discutível. Mas afirmar que o Deus cristão não existe não é uma afirmação com base em fé.

    ResponderExcluir
  2. O interessante é que o Deus cristão que "não existe" enviou seu Filho Jesus Cristo a Terra, e hoje todas as eras como são conhecidas são dividas em antes de depois da vinda dele, ou seja A.C. e D.C. É tanta a certeza de que o Deus cristão "não existe" que hoje temos a arca de Noé encontrada no monte Ararate e todos as coisas do Universo visível que dão testemunho da existência do Deus que "não existe". Só rindo da teoria de certas pessoas.

    ResponderExcluir





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução