Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
quinta-feira, 27 de setembro de 2007

DNA, mutações e mecanismos de reparação

"Analysis Reveals Extent of DNA Repair Army" (análise revela a extensão do exército do reparação do DNA) é um artigo do instituto médico de Howard Hughes que destaca a importância dos mecanismos de reparação do genoma. O artigo, que dá conta de um estudo novo e da sua publicação na revista Science, revela algumas descobertas surpreendentes das quais nos dá conta o autor sênior Stephen J. Elledge de Harvard.

Citações do artigo em azul:

“Mas precisamente como as células monitoram a integridade de seus genomas, identificam problemas, e intervêm para reparar DNA mal codificado ou partido tem sido um dos segredos mais bem guardados da natureza. Agora, contudo, um relatório na revista Science descreve uma base de dados nova desenvolvida por uma equipe de investigadores do Instituto Médico de Howard Hughes da Escola Médica de Harvard que está fornecendo o primeiro retrato detalhado do exército de mais de 700 proteínas que ajudam a manter a integridade do DNA.”

“A resposta aos danos do DNA é um evento rotineiro na vida de qualquer célula. O Stress causado por fatores ambientais tais como a exposição à luz ultravioleta, à radiação de ionização ou a outros fenômenos ambientais pode fazer com que o DNA quebre ou rearranje seus pares de nucleotidos em maneiras pouco saudáveis. Se tais mutações forem deixados sem qualquer verificação, podem acumular-se ao longo do tempo e levar, finalmente, ao cancro ou ao diabetes.”

“Elledge explicou que duas enzimas críticas, conhecidas no meio científico como o ATM e o ATR, agem como sensores para detectar o problema e iniciar a resposta aos danos do DNA despoletando o aparelho molecular de reparação da célula.”

“Os resultados deste estudo ilustram a larga área de intervenção da resposta aos danos do DNA, que se estende bem além de o que foi antecipado dos estudos anteriores,” ele disse. “


“As proteínas, conhecidas como Abraxas e RAP80, ligam à proteína BRCA1 e forma-se um complexo que governa três modos essenciais do controle de danos do DNA: resistência à danificação, os pontos de verificação genetica que restringem a proliferação da célula, e a reparação do DNA. Há três variantes deste complexo BRCA1 e um é mediado por Abraxas e RAP80, fornecendo janelas potenciais diferentes para o interior da natureza protetora do gene.

Nós temos que parar de pensar sobre BRCA1 como uma única entidade. Há três complexos e o que está fazendo cada um deles? Isso é o que precisa ser descoberto,” Elledge disse.

Ele realçou que saber simplesmente que o BRCA1 vem em três sabores distintos dá a investigadores a possibilidade de classificar cada um na resposta aos danos do DNA e no início dos tumores. “


"Analysis Reveals Extent of DNA Repair Army", 25 de Maio de 2007
http://www.hhmi.org//news/elledge20050525.html


O conhecimento crescente está associado com a descoberta da sempre crescente complexidade biológica. Três variedades de BRCA1 correspondem a três tipos de controle de danos: resistência à danificação, restringir a proliferação da célula por meio dos pontos de verificação genetica e reparação do DNA. Este parece ser um subsistema em que todas as peças são precisas para manter uma reparação genomica eficaz.

Estas são descobertas fascinantes da pesquisa que alteram a nossa concepção de quão vasto e intricado é a rede de proteínas envolvidas em controlar os danos do DNA, como Elledge indicou de forma tão competente.

______


O maravilhoso mundo do exército de mecânicos reparadores do DNA

Uma análise publicada recentemente no Howard Hughes Medical Institute revela a extensão de um verdadeiro exército de mecânicos reparadores do DNA.

As células têm a incrível capacidade de manter uma "lista" do seu conteúdo genético, e quando alguma coisa saí errada, elas entram em ação e consertam o dano antes que o câncer ou outra condição que ameace a vida se desenvolva.

A pergunta científica que deve ser feita é: como que as células monitoram a integridade dos seus genomas, identificam os problemas e, acima de tudo, consertam o DNA "quebrado" ou erroneamente codificado? Isso tem sido um dos segredos da natureza mais bem guardado. Não é mais: um relato na revista científica Science descreve um novo banco de dados desenvolvido por uma equipe de pesquisadores do renomado Howard Hughes Medical Institute da Harvard Medical School fornecendo a primeira descrição detalhadas do exército de mais de 700 proteínas que ajudam a manter a integridade do DNA.

A pergunta impertinente que deve ser feita, e que precisa ser respondida pela ciência é: como que este sistema complexo surgiu? Mutação aleatória filtrada pela seleção natural e outros mecanismos evolutivos de A a Z???

Na revista Science

RESEARCH ARTICLES

ATM and ATR Substrate Analysis Reveals Extensive Protein Networks Responsive to DNA Damage

Shuhei Matsuoka, Bryan A. Ballif, Agata Smogorzewska, E. Robert McDonald, III, Kristen E. Hurov, Ji Luo, Corey E. Bakalarski, Zhenming Zhao, Nicole Solimini, Yaniv Lerenthal, Yosef Shiloh, Steven P. Gygi, and Stephen J. Elledge (25 May 2007) Science 316 (5828), 1160. [DOI: 10.1126/science.1140321]


Leia mais aqui em inglês (sorry, periferia): PDF gratuito -
http://www.hhmi.org/news/pdf/elledge20050525.pdf

pos-darwinista.blogspot.com

_______


ENCODE: o DNA biologicamente relevante "resiste" a mudança

Na edição especial da revista Genome Research de Junho de 2007, os cientistas comunicam as primeiras descobertas de um projeto chamado ENCODE. Esta 'enciclopédia dos elementos do DNA' tenta descobrir como as nossas células fazem sentido da seqüência do DNA no genoma humano. O ENCODE já chegou a uma conclusão de sabedoria científica convencional: a idéia de que o DNA biologicamente relevante resiste a mudança ao longo do tempo evolutivo.
http://www.genome.org/current.shtml

pos-darwinista.blogspot.com

0 comentários:

Postar um comentário





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução