Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
domingo, 6 de abril de 2008

Selecção sexual falseada no caso das penas do pavão

pavão peacock"A visão de uma pena numa cauda de pavão, sempre que eu olho para ela, fico doente!" - (Charles Darwin, em uma carta ao botânico Asa Gray, 3 de abril de 1860)

Os Darwinistas têm a reputação de avançarem "cenários plausíveis". Estas histórias surgem porque tem de haver um percurso gradual para formar qualquer estrutura que seja interessante do ponto de vista biológico. As penas do pavão são um bom exemplo disso, simplesmente porque os seus atributos extraordinariamente belos não podem ser esquecidos ou ignorados. Uma vez que as penas elaboradas das suas cauda não tornam os pavões mais fortes ou mais aptos fisicamente, o mecanismo de selecção sexual é invocado. O recurso da internet Understanding Evolution for Teachers (Entendendo a Evolução para Professores) diz o seguinte sobre o assunto:

"A selecção sexual é um 'caso especial' da selecção natural. A selecção sexual actua sobre a capacidade de um organismo obter (muitas vezes por quaisquer meios necessários!) ou copular de forma bem sucedida com um parceiro. A selecção faz muitos organismos irem aos limites para terem sexo: os pavões mantêm caudas elaboradas [...] A selecção sexual é muitas vezes suficientemente forte para produzir recursos que são prejudiciais para a sobrevivência do indivíduo. Por exemplo, barbatanas ou penas da cauda extravagantes e coloridas são susceptíveis de atrair predadores da mesma forma que atrai membros interessados do sexo oposto ".
Fonte: clique aqui.


Infelizmente, para os Darwinistas, a pesquisa empírica não conseguiu sustentar esta tese. Depois de passar anos estudando a reprodução de aves, os pesquisadores chegaram à conclusão de que "as fêmeas de pavão não preferem os pavões que têm as caudas mais elaboradas".

"As penas das caudas dos machos dos pavões estão entre os mais surpreendentes e belos atributos físicos da natureza, mas não são capazes de excitar, muito menos interessar, as fêmeas, de acordo com as novas investigações. Esta descoberta é uma reviravolta na convicção de há muito de que as penas do pavão macho teriam evoluído em resposta à escolha de acasalamento das fêmeas. Também poderia indicar que outras características elaboradas nos galináceos, um grupo que inclui perus, galinhas, perdizes, codornizes e faisões, bem como pavões, não estão necessariamente ligadas à adaptação ao meio e ao sucesso do acasalamento. "


Os pesquisadores tomaram nota do trabalho anterior e das várias hipóteses que têm sido propostas. Sua síntese revela que eles se empenharam em seguir todas as pistas:

"Até à data, a cauda do pavão foi proposta como sendo, não só o objectivo da escolha feminina (por exemplo, Petrie et al. 1991), mas também um indicador de bons genes (Petrie 1994). No entanto, pode haver pelo menos quatro problemas com estas hipóteses.
Primeiro, a morfologia da cauda masculina parece não ser a escolha universal, porque há evidência a favor e contra o efeito da morfologia da cauda masculina no sucesso masculino no acasalamento. [. . .] Por outro lado, as maneiras pelas quais as fêmeas avaliam as caudas masculinas (a não ser que as fêmeas tenham a capacidade de contar os pontos em forma de olho), têm sido questionadas repetidamente, mas não foram totalmente investigadas. Em terceiro lugar, não há consenso sobre quais as características que caracterizam os machos com as caudas mais elaboradas. [. . .] Em quarto lugar, de acordo com o nosso conhecimento, a escolha de parceiro baseada num ornamento de plumagem masculino que está sob controle de estrogénio é muito raro ".


A conclusão deles é que efectivamente "Não sabemos a origem ou função original da cauda do pavão, mas pensamos que surgiu há muito tempo atrás":

"Propomos que a cauda do pavão seja um sinal obsoleto para o qual a preferência feminina já se perdeu ou foi enfraquecida, mas que, no entanto, foi mantida até o presente, pois é necessária como ponto de partida para alcançar níveis de estimulação nas fêmeas antes de acasalamento e/ou é mantida para desviar a atenção [...]. "


Os alegados poderes incríveis da selecção natural ficam muito reduzidos como resultado destes achados. O argumento de que ela é "suficientemente forte" para manter a exibição de penas contra os efeitos negativos da atracção de predadores deve ser abandonado. Além disso, ela não parece suficientemente forte para eliminar a exibição quando ela se torna um "sinal obsoleto". Os Darwinistas têm que pensar muito bem sobre a forma como eles fazem ciência. Este é um claro exemplo de como a hipótese darwinista se tornou aceite como verdade científica, apesar de agora ter sido refutada por alguma investigação empírica rigorosa. Essa é uma previsão falseada. Isto significa que numerosos livros e web sites devem ser revistos. Mais importante ainda, os Darwinistas devem deixar de dar a impressão de que têm a chave para compreender o mundo natural. Assim, grande parte desta "compreensão" é como as penas do pavão - muito para mostrar mas nenhuma substância. Richard Dawkins enaltece o darwinismo como uma bela teoria, mas quando olhamos de perto, ela falha em explicar os dados observados.



Pavões fêmeas não preferem os pavões macho com as caudas mais elaboradas
Mariko Takahashi, Hiroyuki Arita, Mariko Hiraiwa-Hasegawa e Toshikazu Hasegawa
Comportamento Animal, 75 (4), de Abril de 2008, 1209-1219 | doi: 10.1016/j.anbehav.2007.10.004

Resumo: Pensa-se que a cauda elaborada do pavão macho indiano, Pavo cristatus, terá evoluído em resposta à escolha de acasalamento da fêmea e que pode ser um indicador de bons genes. O objectivo deste estudo foi investigar o papel da cauda do macho na escolha de acasalamento utilizando observações centradas no macho e na fêmea numa população selvagem de pavão indiano no Japão ao longo de 7 anos. Não encontramos evidências de que as fêmeas expressassem qualquer preferência por machos com caudas mais elaboradas (ie caudas com mais pontos em forma de olho, com um arranjo mais simétrico ou com um maior comprimento), semelhante aos que acontece com outros estudos que demonstram que as fêmeas de galináceos não dão valor à plumagem dos machos. Combinado com resultados anteriores, os nossos resultados indicam que a cauda do pavão (1) não é o objectivo universal de escolha do sexo feminino, (2) mostra pequena variação entre os machos em toda a população e (3) com base nos actuais conhecimentos fisiológicos, parece não reflectir fielmente a condição do macho. Também constatamos que algumas características comportamentais dos pavões durante a exibição são largamente afectadas pelos comportamentos das fêmeas e foram erradamente correlacionadas com o sucesso do acasalamento dos machos. Embora a cauda do macho e a sua exibição directa perante as fêmeas pareçam necessárias para uma reprodução bem sucedida, nós concluímos que as fêmeas nesta população provavelmente exercem uma escolha activa baseadas noutros atributos que não a cauda do macho.

Veja também:

Viegas, J., Pavões Fêmeas Não Impressionadas pelas Penas dos Machos, Discovery News, 26 de março de 2008

Codetron, B. O Princípio do Pavão: Beleza, Deus, e Darwinismo, The Discovery Institute, agosto de 2006

(por David Tyler)

Um comentário:

  1. Muito bom. Ta tudo muito bem explicado e com fontes seguras.

    ResponderExcluir





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução