Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
sábado, 17 de maio de 2008

De Darwinista a Cientista Céptico de Darwin

Neste pequeno vídeo clip Dr. Dean Kenyon responde a uma série de perguntas sobre o seu interesse nas origens biológicas e as ideias expressas no seu livro "Biochemical Predestination", e do seu cepticismo na teoria de Darwin:



Qual é a relação entre o Darwinismo e a origem da vida?

RE: Pois bem, Darwin, como é evidente, forneceu o enquadramento geral para o desenvolvimento gradual na complexidade dos sistemas que eu vejo como a grande questão do século 19 na biologia, e no século 20 temos grandes problemas, mas temos os estudos de evolução química a aparecer no século 20. Tomando inspiração nas visões de Darwin sobre a evolução das espécies e apenas projectando alguns dos conceitos para o passado até ao período pré-vida e tomando o desenvolvimento de sistemas químicos em vez de espécies ou organismos, e os longos períodos de tempo que Darwin necessitava pareceram-me muito consistentes com a necessidade de grandes milhões ou dezenas de milhões de anos para qualquer tipo de evolução química das células.

Qual era o seu ponto de vista sobre o Darwinismo e a origem da vida quando você escreveu "Biochemical Predestinação"?

RE: Bem, eu era muito darwinista naquela altura, um neo-darwinista, devo dizer, totalmente convencido que as visões de Darwin acerca do desenvolvimento das espécies estavam correctas. E eu em geral também apoiava as ideias de Oparin sobre a origem da vida primitiva. Oparin foi buscar inspiração ao primeiros trabalhos de Darwin. Eu diria que eu era um neo-darwinista convicto e um químico evolucionista.

Como mudaram as suas opiniões desde que você escreveu "Biochemical Predestinação"?

RE: Pois bem, ao longo de um período de alguns anos eu estive envolvido no ensino de cursos sobre a origem da vida e sobre o tema da evolução. Tornou-se cada vez mais difícil para mim fornecer aos meus alunos exemplos realmente observados de mudanças evolutivas. Tornou-se difícil encontrar na literatura séries de fósseis transicionais documentados que eu pudesse levar para as minha aulas para dar suporte e complementar os livros didácticos e... Penso que foi um dos principais factores que me levaram a começar a questionar se esta visão geral acerca das origens podia estar ou não correcta. E nessa altura eu estava envolvido no meu trabalho de investigação sobre a origem da vida primitiva e, à medida que o tempo foi passando comecei a estar mais consciente de alguns dos problemas envolvidos, as questões de oxigénio, a atmosfera primitiva, a questão da origem da informação genética. Começou a parecer cada vez mais problemático para mim, então eu acho que as coisas acumularam-se até uma altura de reexame crítico. Isto passou-se há cerca de 15 anos atrás e normalmente fiz um esforço para analisar todas as críticas à teoria evolutiva. Na verdade alguns alunos trouxeram-me um livro de A. E. Wilder Smith, "A Criação da Vida: Uma Abordagem cibernética à Evolução", no qual o meu próprio trabalho com Gary Steinman, "Biochemical Predestination", era criticado, e eu pensei que poderia facilmente refutar essa refutação ao meu trabalho, e por isso eu disse bem vou olhar para este material durante o Verão, ele parece muito interessante. Até que chegou o fim do verão, e decidi que eu não poderia refutar esta crítica, vários pontos que não tínhamos antecipado, que não tínhamos incluído no nosso trabalho, foram agora levantados por Wilder Smith ... e ele apresentava ali algo realmente muito poderoso como desafio aos meus pontos de vista anteriores.


Dean H. Kenyon é Professor Emérito de Biologia na San Francisco State University. Ele recebeu seu Doutoramento em Biofísica da Universidade de Stanford. Ele foi Membro Pós-doutoramento da National Science Foundation em Biodinâmica Química na Universidade da Califórnia, Berkeley, um Pesquisador Associado na NASA-Ames Research Center, e uma Acadêmico Visitante no Trinity College, na Oxford University.



O mesmo texto acima mas em inglês:

What is the relationship between Darwinism and the origin of life?

Well, Darwin of course provided the general framework for gradual development in complexity of systems that I sort of think of this as the 19th century great issue in biology, and in the 20th century we have many big problems but we have the chemical evolution studies coming in the 20th century. Taking inspiration from Darwin's views about the development of species just projecting some of the gradual concepts back on the pre-life period and taking about the development of chemical systems rather than species or organisms, and the long time spends that Darwin requires seemed very consistent with the need for huge millions or tens of millions of years for any kind of chemical evolutionary development of cells.

What was your viewpoint on Darwinism and the origin of life when you wrote "Biochemical Predestination" ?

Well, I was very much a Darwinist at that time, near neo-Darwinist I guess I should say, fully persuaded that his views about the development of species were correct. And I also was generally in support of the ideas of Oparin on the origin of first life. Oparin took inspiration from Darwin's earlier work. I guess I would say I was a convinced neo-Darwinist and a chemical evolutionist.

How have your views changed since you wrote "Biochemical Predestination" ?

Well, over a period of years I was involved in teaching courses on the origin of life and on the topic of evolution. It became increasingly difficult for me to provide examples of actually observed evolutionary changes for my students. Difficult to find transitional fossils series documented in the literature that I could back up my lectures with and supplement the textbook material with and... I think that was one of the main factors that led me to begin to question whether or not this general viewpoint about origins might not be correct. And then I was involved in my own research work on the origin of first life and as time went on there I began to be more aware of some of the problems involved, questions of oxygen, the primitive atmosphere, the question of the origin of the genetic information. It looked increasingly problematical to me, so I think things added up to a time for a critical reexamination. This would be back in 15 years ago or so and I usually made an effort to look at all the criticism that I was being leveled at evolutionary theory. Actually some students have brought me a book by A. E. Wilder Smith called "The Creation of Life: A Cybernetic Approach to Evolution" in which my own work with Gary Steinman, "Biochemical Predestination", was critiqued, and I thought I could easily refute this refutation of my work and so I said well I take the summer to look at this material, it looks very interesting. By the time the summer was over I decided pretty much that I could not refute this criticism, a number of lines that we did not anticipated, that we did not include in our earlier work was brought up by Wilder Smith... and he had something very powerful indeed as a challenge to my earlier views.


0 comentários:

Postar um comentário





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução