Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
sexta-feira, 13 de junho de 2008

Os pontos fortes e os pontos fracos da Evolução

O Erro do New York Times sobre os "Pontos Fortes e Pontos Fracos" Sofre Mutações e Espalha-se

Pontos Fortes e Pontos Fracos weakness weak chainTal como referido anteriormente, o New York Times errou redondamente em sua recente história sobre o debate em torno das normas da ciência no Texas, afirmando que o apoio ao ensino dos "pontos fortes e pontos fracos" da evolução seria uma nova estratégia por parte dos críticos de Darwin. O único problema é que a linguagem dos "pontos fortes pontos fracos" nas normas da ciência de Texas já tinha sido incluída há 10 anos atrás, em 1998, quando as actuais normas da ciência foram adoptadas, e por isso não é há nada de novo. (Na verdade, a linguagem ela própria deriva da década de 1980, antes das actuais normas da ciência.) Mas o que é mais importante é que o debate a respeito de se ensinar ou não tanto os pontos fortes como os pontos fracos da evolução Darwiniana tem vindo acontecer por toda a nação na última década.

Agora, no entanto, Celeste Biever da New Scientist (sim, Celeste Biever, a agente secreto) arruinou a história ainda mais. Ela afirma que:

este Verão, o Conselho de Educação do Estado do Texas irá decidir se os "pontos fortes e os pontos fracos" da evolução devem ser ensinados nas escolas públicas.

... os críticos dizem que é uma nova estratégia que toma forma por toda a nação para minar o ensino da evolução, uma maneira para os estudantes ouvirem objecções religiosas sob o título de discurso científico ...


Mudar a linguagem para escamotear a lei é uma antiga tradição do movimento anti-evolução ....


Pobre Celeste, ela parece pensar que o Conselho de Educação do Texas está a discutir se acrescenta ou não a linguagem dos "pontos fortes e pontos fracos" às suas normas da ciência. Na verdade, a linguagem está nas actuais normas desde há uma década atrás! O debate é sobre remover ou não a linguagem, e as pessoas que tentam "mudar" a linguagem são os Darwinistas.

Se repórteres como Biever não conseguem sequer extrair prontamente tais factos, não admira que tenham dificuldades em relatar com precisão o debate científico em torno da evolução e do design inteligente.

(por John West)



Ver também o post "Agentes secretos darwinistas"

0 comentários:

Postar um comentário





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução