Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
sábado, 31 de outubro de 2009

A Impossibilidade Científica da Evolução

Conferência Cientifica Para Refutar a Teoria da Evolução, em Roma
(9 de Novembro de 2009 9:30-17:00 na Universidade de São Pio V , em Roma)

Scientific Impossibility of Evolution
Em resposta ao apelo do Papa Bento XVI para que ambos os lados sejam ouvidos

No 150º aniversário da "Origem das Espécies" de Darwin, em Novembro de 2009 será a ocasião para uma conferência única na Universidade de São Pio V de Roma que irá apresentar uma refutação científica da teoria da evolução. Segundo o russo especialista em sedimentalogia, Alexander Lalamov,
"Tudo o que está na Origem das Espécies de Darwin depende de as rochas se terem formado lentamente ao longo de enormes períodos de tempo. A conferência de Novembro demonstra com dados empíricos que tal tempo geológico não está disponível para a evolução".

Recentemente de regresso de uma conferência de geologia inovadora em Kazan, o especialista em sedimentalogia Guy Berthault apresentará os resultados de vários estudos sedimentológicos realizados e publicados na Rússia. Num deles, a idade da formação rochosa pesquisada foi determinada em 0,01% da idade que lhe foi atribuída pela escala de tempo geológica, em vez de uma idade de 10 milhões de anos, a idade real não passava de 10 mil anos. "Contrariamente ao que é convencional", Lalamov observou,
"estas rochas formaram-se rapidamente, e os fósseis que elas contêm devem ser relativamente jovens. Esta conclusão contradiz a interpretação evolutiva do registro fóssil. " Www.sedimentology.fr

De acordo com o Dr. Dean Kenyon, biofísico norte americano, "A macroevolução biológica colapsa sem os dois pilares da escala de tempo geológico e do registo fóssil". Poucos cientistas contestarão esta afirmação. É por isso que a próxima conferência se centra na geologia e na paleontologia. Pesquisas recentes nestas duas disciplinas fornecem um apoio poderoso para o já formidável argumento contra o ensino da macroevolução darwiniana como se fosse um facto provado".

Os cientistas participantes incluem:

  • Guy Berthault, um sedimentologista de renome da França e pesquisador em física fundamental e sedimentologia, membro da Sociedade Geológica da França e da Associação de Sedimentologistas.
  • Maciej Giertych, geneticista populacional de Kornik, Polónia, que tem diplomas avançados em genética, silvicultura e em fisiologia das árvores.
  • Thomas Seiler, um físico da Alemanha com Ph.D. em Física pela Universidade de Munique
  • Jean de Pontcharra, um físico em França e director do grupo de pesquisa de renome CEA-LETI (Commissariat à l'Energie Atomique, Laboratoire d'Electronique et de Technologie de l'Informatique).
  • Josef Holzschuh, um geofísico da Austrália com Ph.D. em Geofísica pela Universidade da Austrália Ocidental.

Resumos das apresentações podem ser vistas on-line em http://sites.google.com/site/scientificcritiqueofevolution/Home.

A conferência "A Impossibilidade Científica da Evolução" (The Scientific Impossibility of Evolution) está sendo lançada em resposta directa ao pedido de Bento XIV, para que ambos os lados da controvérsia da evolução sejam ouvidos. Thomas Seiler, um participante na conferência, disse:
"À luz das novas e surpreendentes descobertas científicas, sobretudo na geologia, esperamos que a comunidade científica mundial reconheça a esmagadora evidência contra a teoria da evolução".

A conferência começa às 9h30 em 9 de novembro no auditório da Universidade de São Pio V (Via Cristoforo Colombo, n º 200). A entrada é livre, embora o número de lugares seja limitado. Está aberta ao público e a membros da imprensa e dos mídia, mas recomenda-se efectuar reserva. As reservas podem ser feitas pelo e-mail noevolutioninfo@gmail.com, ou Peter Wilders (Telefone europeu 377 93 50 88 34)

Um comentário:

  1. ?????????????????????? Hoje há a espectrometria de massa, que usa isótopos radioativos e bombardeamento de íons que é quase totalmente exata e é assim que datam as descobertas. Quanto à evolução, que eles não se livrem dela, sem ela estaríamos todos mortos... Claro que ela mata alguns, mas "seleciona" outras. A evolução é mensurável a nível celular. Não entendo o que esses cientistas querem, mas as provas de que Darwin está certo estão bem na sua frente. Veja os vírus e bactérias que evoluem e se tornam mais resistentes a antibióticos. Isso é evolução, a evolução e primariamente genética e se dá na replicação de D.N.A, R.N.A. no crossing-over e nas mudanças climáticas (Sempre naturais), que selecionam os mais aptos.

    ResponderExcluir





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução