Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
terça-feira, 22 de abril de 2008

Proteínas - Um Impressionante Material de Design

Proteinas proteins variedade função variety functionTodos os seres vivos dependem das proteínas. No entanto, por vezes pergunto-me quantas pessoas param para pensar o quão surpreendentes são as proteínas. Considere o seu próprio corpo. Se você analisar bem as coisas, muitas vezes é como se um importante sistema orgânico estivesse centrado em torno da função de uma proteína ou de um pequeno subconjunto de proteínas. Seus músculos? Pense na actina e miosina, as proteínas contrácteis. Seu cérebro e nervos? Pense nos receptores de membrana e canais que geram e transmitem sinais eléctricos. Seu sangue? Pense na hemoglobina que transporta o oxigénio. Seu sistema digestivo? Pense nas enzimas que quebram todas as moléculas dos alimentos (que, naturalmente, inclui as proteínas). Seus ossos e articulações? Pense no colágeno que liga os tecidos. Sua pele e cabelos? Pense naquela proteína dura, a queratina. Suas glândulas? Pense nas hormonas e nos receptores que as detectam. Seu sistema imunológico? Pense nos anticorpos que defendem o seu corpo.

Veja as proteínas como um material de design e de repente você fica espantado com a sua imensa versatilidade, como se elas representassem a substância por excelência para gerar função, pronta para todos os propósitos.

Proteinas proteins variedade função variety functionElas podem gerar luz, detectar luz, ou usar luz para gerar gradientes iónicos e energia química. Elas podem funcionar como um sinal ou detectar um sinal. Elas podem transmitir movimento e funcionar como motores. Você pode usá-las para ligar as coisas e para desligar coisas. Elas podem ser usadas para catalisar milhares de reacções químicas, transportar minúsculas ou volumosas moléculas, transmitir sinais através de grandes distâncias, e/ou registar erros. Podem existir como qualquer coisa, desde uma simples fibra até uma complexa e sofisticada, máquina molecular. Elas podem funcionar isoladamente ou como parte de um circuito. Combine-as com lípidos, e você terá uma barreira controlável, perfeita para compartimentação. Combine-as com o DNA e você tem um cromossoma que pode ser regulado e embalado. Combine-as com RNA e você terá máquinas que podem produzir proteínas e fazer cortes de genes perfeitos. Você pode usá-las para desenvolver coisas, uma vez que o profundamente influente processo de duplicação genética, recombinação, e transferência horizontal de genes dependem das, você adivinhou, proteínas. Você pode até utilizar proteínas para formar a casca dura de uma tartaruga, a pele macia de um coelho, as penas de voo de um pato.

Proteinas proteins variedade função variety function
Então perguntamos-nos se existe um material de design mais versátil em todo o Universo. Mas as coisas ainda ficam melhores. No cerne de toda essa funcionalidade e versatilidade que nos deixam estonteados, que tem servido a Vida por milhões de anos, está o mesmo processo de fabrico. Agora isso é que é um material de design: um processo de fabrico, responsável por milhares e milhares de funções.

Isto tudo levanta algumas questões interessantes. Por exemplo, sem proteínas, e sem o seu processo de fabrico, o que é feito do relojoeiro cego? Sem proteínas, e sem as funções latentes que elas contêm, pode não existir o relojoeiro cego impotente, incapacitado, relojoeiro cego cuja existência ninguém detecta? Se assim for, que crédito o relojoeiro cego realmente merece?

É claro que, se tudo começou, como eles dizem, unindo certos aminoácidos para actuarem como grupos catalisadores, ou para se engatarem de forma fortuita a pequenos peptídeos para funcionarem como ligadores-cruzados, então aconteceu talvez o Acontecimento Mais Improvável de todos, o de que tal material tão humilde contivesse em si o potencial latente de tornar o relojoeiro cego num imitador-de-designer bastante impressivo. ;)

(por Mike Gene)

0 comentários:

Postar um comentário





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução