Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
quinta-feira, 29 de maio de 2008

Jornalista de ciência avisa contra a "idolatria da ciência institucionalizada"

cientifismo cientista maluco scientism mad scientistUm amigo enviou este relatório por Geoffrey Lean, "Cuidado com os cientistas que insistem que eles é que sabem" do Daily Mail, no qual ele observa,

Em votações abrangentes e altamente debatidas, ao longo dos últimos dois dias, os deputados têm estado a tomar decisões que tocam na essência do que é ser humano, quando é certo matar, e até que ponto devemos ir a fim de salvar vidas".

[... ]

"Lamentavelmente os piores criminosos são os cientistas e os seus apoiantes, as mesmas pessoas que defendem com alarde a razão e os factos em vez do fundamentalismo".


Nada daquilo nos deveria surpreender. Como me disse um bioeticista há alguns anos atrás, nada deixava alguns cientistas mais satisfeitos do que pôr as suas mãos em seres humanos vivos com os quais pudessem fazer o que quisessem.

Não sei porque alguém deveria ficar surpreendido com isso. A decisão de seguir ciência não garante mais moral do que uma decisão de ir trabalhar em acção social ou no policiamento. Moralidade deve ser determinada por aquilo que acontece depois disso.

Se a mística da ciência (o que Lean diz que o Professor Brian Wynne LancasteraUniversity chama de "a idolatria da ciência institucionalizada") nos cega, todos vamos ser culpados juntamente com os perpetradores.

(por O'Leary)

0 comentários:

Postar um comentário





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução