Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
terça-feira, 8 de julho de 2008

Ornitorrinco - Uma Fábula Darwinista

platypus ornitorrincoO ornitorrinco é um enigma evolutivo e encorajamos todos a ler o novo artigo técnico que acaba de ser lançado no Website da Truth in Science. De acordo com o Professor Tom Kemp:

O maior mistério de todos no que diz respeito à evolução dos mamíferos já vem de há 200 anos atrás: a questão do que são exactamente os mamíferos monotremados e como se relacionam filogeneticamente aos terianos [de T.S. Kemp (2007) A Origem e Evolução dos Mamíferos - Oxford University Press, páginas 173-174].

Os Mamíferos compreendem três grandes grupos. Os terianos [theria] incluem todos os mamíferos placentários [eutheria] e marsupiais [metatheria] que têm a característica bolsa na qual o feto imaturo é alimentado após o nascimento. O terceiro grupo de mamíferos são os monotremados ou mamíferos que põem ovos. Estes são os prototheria [como distinção dos theria], e só existem três espécies de monotremados vivos hoje, apenas encontrados na Austrália. Estes são o Ornitorrinco [Ornithorhyncus], o equidna-de-bico-curto [Tachyglossus] e o equidna-de-bico-longo [Zaglossus].

short beacked echidna equidna-de-bico-curto Tachyglossus
long beacked echidna equidna-de-bico-longo Zaglossus

Será o ornitorrinco um réptil?

Em tempos considerava-se que os monotremados eram transicionais entre répteis e mamíferos. É fácil perceber porquê.

Os prototheria [do grego: primeiro animal] põem pequenos ovos redondos e têm mais algumas características reptilárias. platypus spur esporão ornitorrincoPor exemplo, o sexo masculino do Ornitorrinco possui um esporão nas suas patas traseiras através do qual descarrega um cocktail venenoso que contém proteínas semelhantes às encontradas nas serpentes. No entanto, a principal razão para os monotremados não poderem ser considerados intermediários entre os répteis e os mamíferos é o actual consenso Darwinista de que os répteis e os mamíferos terão evoluído de forma independente a partir de um putativo ancestral comum amniota, através das linhagens dos Sinápsida [levando aos mamíferos] ou dos Sauropsida [levando aos répteis e aves]. Indicamos também o artigo "Os Sinápsida e a Evolução dos Mamíferos", que pode ser encontrado aqui.

Desde a publicação recente [em Maio 2008] do genoma do Ornitorrinco na revista Nature tem havido grande actividade na imprensa académica e nos meios de comunicação populares, incluindo a BBC.


Será uma ave?

Toda essa actividade, porém, não trouxe qualquer solução para o enigma evolutivo que é o Ornitorrinco. Se alguma coisa aconteceu, foi a situação se tornar ainda mais confusa. Apesar de não haver dúvidas de que o Ornitorrinco é um mamífero, ele tem muitas características genéticas que são mais semelhantes às aves. Por exemplo, uma vez que o ornitorrinco põe ovos, exige-se uma produção activa de gema e isto se reflecte nos seus genes. Talvez a característica mais notável do genoma do Ornitorrinco, porém, seja a estrutura e o número de cromossomas sexuais. Tipicamente, todos os mamíferos do sexo masculino têm um cromossoma X e um cromossomo Y enquanto que as fêmeas possuem dois cromossomas X. O macho do Ornitorrinco tem cinco cromossomas X e cinco cromossomas Y e a fêmea tem cinco pares de cromossomas X. Na maioria dos mamíferos, o cromossomo Y possui um gene chamado SRY que é um grande factor determinante do sexo, mas este parece estar ausente no Ornitorrinco. A determinação do sexo no Orinitorrinco é portanto de alguma forma um mistério e um grande esforço de investigação está em curso a fim de descobrir o seu mecanismo. Elizabeth Finkel escreveu uma recente revisão desta investigação intitulada "Genome speaks to Transitional Nature of Monotremes" na prestigiosa revista americana Science na qual ela afirma:

A sequência do genoma agora mostra que um dos cromossomas X [X5] do Ornitorrinco tem mais do que aquele gene de ave: É quase totalmente equivalente ao cromossoma Z da galinha.

Evidentemente, existem também outras características genéticas que são exclusivas do Ornitorrinco. Estas incluem a posse de toda a biologia necessária para os requintados sistemas sensíveis de detecção eléctrica e química do seu bico. Em particular, os investigadores descobriram numerosos genes que codificam receptores de odores. Genes semelhantes são encontrados em muitos outros mamíferos que confiam no seu sentido de cheiro, sendo o cão um exemplo clássico. O ornitorrinco, no entanto, requer esta sensibilidade subaquática.

Assim, o Ornitorrinco permanece um enigma. Será ele de uma linhagem Sauropsida que inclui répteis e aves? Será de uma linhagem Sinápsida que supostamente levou ao aparecimento dos mamíferos? Ou derivou ele de forma independente de algum ancestral amniota desconhecido? Ou será que a hipótese darwinista, a análise cladística, ou qualquer outro sistema de classificação para esta questão, são apenas demasiado restritivos? O Ornitorrinco é uma fábula darwinista da qual se deveriam tirar algumas lições. patypus ornitorrincoSerá um réptil, uma av... é o velho ornitorrinco?


FONTE: Truth in Science


P.S. - Pode ler também o post "Genoma do ornitorrinco é um mosaico"

0 comentários:

Postar um comentário





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução