Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

DARWIN, 200 ANOS DEPOIS

Paula Moura PinheiroNo último Câmara Clara, programa da RTP 2, a jornalista Paula Moura Pinheiro convidou José Feijó e Maria de Sousa (ambos darwinistas) para falarem de Darwin.

Este programa revelou não acrescentar muito [talvez nada] ao assunto do darwinismo e da controvérsia que envolve a Teoria da Evolução. Revelou sobretudo servir de propaganda às exposições, mostras, conferências e palestras, que vão ocorrer estes dias para as comemorações de Darwin. Serviu por isso o darwinismo e a ideologia naturalista/materialista que sustenta uma teoria que, apesar de tantos buracos, ainda predomina em muitos meios científicos, como verdade suprema inquestionável, com a cumplicidade dos meios de comunicação que ajudam à doutrinação do público.

Mas, apesar de só terem sido convidados darwinistas, não deixa de ser interessante ouvir o que eles têm para dizer. E se estivermos atentos pode ainda ser mais interessante aquilo que eles não dizem.


A catedral darwinista de Lisboa

O grande destaque do programa vai para a exposição [José Feijó afirma que é a maior do mundo] que será inaugurada na Fundação Calouste Gulbenkian, na próxima Quinta-Feira e que, nos dizem que é o núcleo duro do Museu de História Natural que está pensado para Oeiras . João Caraça, que é o Director do Serviço de Ciência da Gulbenkian, diz algumas coisas curiosas:


João Caraça"A essência da mensagem Darwiniana [mensagem?? hum... já começou a evangelização darwinista?!] é que há uma profunda unidade em todos os seres vivos e a natureza, ou seja, que HÁ, UM, ANTEPASSADO COMUM. [esta última parte da frase foi proferida com uma entoação diferente, com um ênfase especial. Rsrs porque não dois, três quatro, ... antepassados? Ah pois, é uma questão de principio, dogma inquestionável do darwinismo!]

A exposição é o antes, durante, a sua vida, pensamento, a ideia revolucionária, e depois de Darwin (século XX). [Pera aí! e a parte do século XXI? o pós-darwinismo?! Rsrs]

Temos uma escada do DNA que se pode subir e da qual se pode descer pelo escorrega do RNA." [Ah.. para terminar a mensagem nada melhor do que brincar de escorrega! Acho que o darwinismo já entrou no RNA! rsrs]

José Feijó é tão célere a afirmar que a exposição é a maior do mundo como a se declarar crente devoto de Darwin e da selecção natural. E explica que ela será a maior "em termos de área, de percurso expositivo, em termos de cobertura conceptual e histórica, em termos de objectos expostos e em termos de pontos interactivos". Das duas uma, ou ele olha para a exposição com os mesmos óculos distorcidos com que olha para o mundo natural, ou então a exposição é mesmo a maior do mundo. Bem, se for mesmo a maior do mundo, não percam! Se quiserem assistir a um acontecimento único no mundo vão até Lisboa pois ela estará transformada no centro de peregrinação darwinista por excelência, com a maior catedral de ovação, evangelização e doutrinação.

Para além daquela exposição são divulgadas outras iniciativas de adulação a Darwin. Entram no rol:
  • Darwin 150/200 - no Centro de Ciências da Universidade de Coimbra
  • Darwin 200 - Biblioteca Flor Bela Espanca, em Matosinhos
  • Charles Darwin, Evolução e Biodiversidade - Museu de História Natural da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

Mas, não pensem que são só estas as cerimónias de bajulação. Dizem-nos que "são muitíssimas as iniciativas por todo o país [já agora por todo o mundo, pois darwinismo é religião globalizada] que celebram a revolução de Darwin".


A beleza dos textos sagrados do mestre

José Feijó mostra-se deslumbrado pelas palavras do redentor darwinista. Ele diz:
João Feijóquando chegou aos trópicos e disse: "descrever tudo o que vejo seria como tentar descrever a cor a um cego". Ele escreve muitíssimo bem. [sim? onde?] Aliás, já a autobiografia é um livro fabuloso, de escrita quase perfeita [perfeita? sim? onde? será que perdi essa parte? rsrsrs]. Por exemplo a última frase do Origem das Espécies: "um número incontável das mais belas e maravilhosas formas evoluíram e estão a evoluir" [Realmente é belo! maravilhoso! rsrsrs, só mesmo um darwinista para ver alguma coisa de especial ali...]


Evolução já não é uma Teoria. Agora é um Facto, FACTO, ouviram bem? um FAAAACTTOOO CIEEEENNTTIIIIFIIICOOO

É triste quando o jornalismo deixa de seguir os parâmetros mínimos de isenção e embarca em declarações erradas e tendenciosas, marcadas por um ênfase excessivo o que só por si já demonstra a fragilidade cientifica do suposto facto. Vejam:
"A ideia de que as espécies evoluíram umas a partir das outras já não é uma teoria. É um facto cientifico."
Diz ainda Paula Moura Pinheiro:
"Aquilo que há 150 anos era uma teoria polémica é hoje um facto cientifico."
Gosto muito da forma como esta senhora apresenta seus programas mas acho que desta vez ela "errou feio". Não custava nada ela se informar um pouco para assim poder informar os telespectadores, em vez de os desinformar de forma tão básica. Bastava ela pesquisar um pouco para descobrir que a teoria é cada vez mais polémica e é hoje mais contestada do que nunca precisamente no campo cientifico. Informe-se cara jornalista, e informe com CLARAeza!


A irmandade do darwinismo

Para quem ainda tem dúvidas que o darwinismo é um movimento evangélico-naturalista, uma religião mascarada de ciência, reparem bem no caminho da conversa com Maria de Sousa:

Maria de Sousa"para mim é realmente um ponto muito importante porque se nós percebermos bem o que ele está a dizer na tal última frase [na tal que o outro darwinista tanto se deliciou! :)] da 1ª edição do Origem das Espécies, nós de facto..., no fundo ele revela uma natureza em que somos irmãos, das moscas, dos peixes, das plantas, porque partilhamos bocados que são idênticos no fundo. E esse sentimento acho que... se um dia as pessoas perceberem bem o significado disto [qual é mesmo o significado??!!], e perceberem que somos irmãos no sentido Franciscano, São Francisco é a pessoa que que diz isto, nem Cristo, Cristo não fala nem de cães nem de gatos" [já o redentor darwinista, esse fala de cães, de gatos e muito mais! rsrs]

E aqui José Feijó lembra que algumas religiões orientais já o faziam!

E a Maria de Sousa responde:
"Sim, pois..., exactamente..."
JACKPOT! Esses darwinistas parecem mais druidas do que cientistas verdadeiros! Hehehehehehehehe


Teoria da Evolução invalidou carácter divino do ser humano

O nosso darwinista das grandezas afirmou o seguinte:
A Teoria invalidou o carácter divino dado à espécie humana, passa a ser uma espécie como as outras não é!
[BINGO!!! Uma Teoria que se diz cientifica com pretensões a invalidar questões de carácter transcendente???!! Rsrs... todos devemos estar agradecidos ao senhor da maior exposição darwinista do mundo, por deixar aqui em evidência que o darwinismo tem motivações que vão muito para além do reino natural, biológico, observável, e que é por isso mesmo que não é ciência!]

E a Maria de Sousa questiona:
"Ha!... uma espécie como as outras!..."

E o José Feijó responde:
"Do ponto de vista biológico, atenção!"
[incrível não é?! O homem já mete os pés pelas mãos! Tenta emendar. Mas costuma-se dizer pior emenda que o soneto! é só deixá-los falar!...]

Implicações éticas da Teoria de Darwin

A entrevistadora diz:
"E agora vamos falar das implicações da Teoria de Darwin. Desde logo as implicações são éticas?"

Pois é! Também fiquei alerta para ouvir o que ia sair dali! Esta questão prometia! Muito se podia falar sobre as implicações e consequências éticas do darwinismo sobre as sociedades, de Hitler à opressão das ideologias totalitárias comunistas, e muito mais! Mas desenganem-se! Pois daquela questão não saiu senão mais do mesmo. Ou seja, sobre as implicações éticas da teoria que favorece o mais forte/apto, nada, não saiu NADA! Aonde está o jornalismo corajoso de ir até às últimas consequências e abordar os temas mais complicados?


O santo Darwin

O darwinista José Feijó não se poupa nos elogios e atributos ao mestre. Reparem só, acerca da rivalidade da teoria de Darwin com a de Wallace, ele diz:
Darwin recebe uma carta de Wallace. Wallace ao contrário de Darwin trabalhava para viver. Wallace pede a opinião de Darwin. Darwin que era uma pessoa com um carácter de grande nobreza recebe a carta e pôe-se naquele dilema: "Eu para ser honesto tenho que mandar a carta e perco a originalidade de uma coisa que eu ando a trabalhar à mais de 20 anos, mas se deito a carta para o lixo e publico a minha teoria estou a ser desonesto", o que obviamente era uma coisa que ele nunca admitiria fazer.

E os leitores perguntarão? Como é que o darwinista das grandezas sabia o que ia na mente de Darwin naquela situação? Como ele sabe que Darwin nunca faria aquilo?
Eu respondo: nunca duvidem da imaginação fértil de um darwinista, da sua capacidade de acreditar, da capacidade de um darwinista ver aquilo que quer ver!
Cientista? Esse senhor é mais um bajulador de Darwin, que diz aquilo que os seus pares (e talvez ele próprio) querem ouvir!


A novidade do pensamento de Darwin

Paula Moura Pinheiro pergunta:
Qual é a efectiva novidade do pensamento e da ideia de Darwin?

José Feijó responde:
Há uma enorme variabilidade na natureza, somos todos diferentes, e Darwin aplica a isso a teoria de Malthus que diz que devido à taxa de reprodução ser muito superior àquilo que é a capacidade do meio ambiente suster essa população, necessariamente parte da população vai ter que morrer porque não há recursos. Então Darwin aí, e wallace da mesma maneira, pensam, se calhar a parte da população que sobrevive é aquela que a variabilidade os ajuda a sobreviver. Então se são esses, essas características vão ser transmitidas à descendência. A descendência vai ser levemente diferente e se esse processo for repetido milhares de vezes... E aí o conceito da idade da terra é fundamental, então esta acumulação de pequenas variações ao longo de...

Ou seja, o conceito caduco da selecção natural como motor de biodiversidade (mais tarde associado às mutações ao acaso), mecanismo que parece explicar tudo mas que afinal não explica nada, que está a ser fortemente contestado pelas investigações mais avançadas, continua a merecer o aplauso servil de tantos fundamentalistas. A fé desses darwinistas tem que ser do tamanho desses tantos biliões de anos que eles tanto precisam para encaixar todas as transformações possíveis e imaginárias, e as impossíveis.

Darwinistas e as suas vãs filosofias!
É só deixá-los falar! Rsrsrs...

0 comentários:

Postar um comentário





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução