Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Faleceu o cientista Philip S. Skell, defensor do Design Inteligente

No passado domingo, a ciência perdeu uma voz de objectividade ousada e corajosa com o falecimento do Dr. Philip Skell. Membro da Academia Nacional de Ciências dos EUA (NAS) desde 1977, "Phil" foi Professor Emérito da Pennsylvania State University, e a sua pesquisa inclui trabalhos sobre intermediários reactivos em química, tais como moléculas de carbeno, reacções de átomo-livre, e reacções de iões carbônio livre. Um artigo de 1997 na revista Pure and Applied Chemistry descreve algumas das importantes contribuições científicas de Skell:
Outra classe de intermediários, contendo átomos de carbono divalentes, foram sugeridos por John Nef no início deste século, mas suas ideias foram completamente rejeitadas. No entanto, o conceito foi retomado com vigor quando Philip Skell mostrou que: CCL, diclorocarbono, se formava como um intermediário da reacção. A química do carbeno quase imediatamente se tornou objecto de extensa pesquisa orgânica física.
A Penn State University, descreve a investigação de Skell da seguinte maneira:
Philip S. Skell, às vezes chamado "o pai da química carbeno" é amplamente conhecido pela "Regra de Skell", que foi aplicada pela primeira vez aos carbenos, as "espécies fugazes" do carbono. A regra, que previu a via mais provável pela qual certos compostos químicos são formados, encontrou grande utilidade na indústria farmacêutica e química.
Mais tarde na sua carreira, Phil tornou-se um céptico da evolução neo-darwinista. Sua posição principal era a de que o darwinismo não serve como pedra angular do pensamento biológico, como muitos afirmam. Em 2007, tive o prazer de conhecer o Dr. Skell e fazer-lhe três entrevistas para o ID The Future do Discovery Institute:
(por Casey Luskin)

0 comentários:

Postar um comentário





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução