Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
domingo, 13 de abril de 2008

Cientistas chocados: o primeiro animal não era simples mas complexo

água viva de pente comb jellyO LiveScience descreve o choque que a água-viva-de-pente causou nos cientistas recentemente.

Investigadores da vida primitiva tinham assumido que as esponjas teriam aparecido em primeiro lugar, por elas serem tão simples. Uma equipa de investigação liderada por Casey Dunn da Brown University, em Rhode Island, determinaram que um ser muito mais complexo do que as esponjas surgiu primeiro, a água-viva-de-pente. O que significa que,

Ao contrário das esponjas, as águas-vivas-de-pente têm tecidos conjuntivos e um sistema nervoso e, por isso, são seres mais complexos. Embora de corpos gelatinosos e com tentáculos, elas não são, no entanto, verdadeiras águas-vivas pois falta-lhes o clássico corpo em forma de sino e as células urticantes.

A descoberta foi inesperada porque os biólogos evolucionistas pensavam que animais menos complexos tinham-se dividido primeiro e depois evoluído separadamente.


Todo este choque e terror deve-se ao facto de não terem considerado de forma séria a explosão de formas de vida de Avalon e a explosão de formas de vida do Cambriano, por aquilo que elas nos podem contar sobre a verdadeira história da vida, em vez de fantasias Darwinistas.
(Na verdade, o secretário da Smithsonian tentou enterrar a explosão Cambriana na cave das instalações.)

Os biólogos evolucionistas ainda estão à procura do longo, lento, ascendente e demorado caminho que a vida nunca percorreu.

Aliás, o pessoal do LiveScience regista que,

"Embora as águas-vivas-de-pente sejam criaturas comuns nos mares de hoje, estes modernos espécimes provavelmente são muito diferentes dos seus ancestrais primitivos".

Também não contem com isso.

Há alguns anos atrás (2004), eu escrevi um artigo para uma revista de ciência para professores, "Time Stands Still for Shell Guy?", Que descreve uma descoberta igualmente notável : Um crustáceo primitivo que tinha fossilizado tão rapidamente em Herefordshire, no Reino Unido, que o seu plano corporal interno foi efectivamente preservado:

A equipe liderada por David Siveter, da Universidade de Leicester foi capaz de reconstruir completamente o fóssil, um acontecimento raro: Um fóssil recentemente encontrado de um crustáceo com 425 milhões de anos de idade aparentemente tem os mesmos órgãos internos que um crustáceo moderno. A maioria das notícias sobre este achado centraram-se no facto de o Colymbosathos ser o mais antigo "macho" fóssil (= o pénis era visível). Mas a verdadeira história, para a ciência, é a surpreendente estabilidade dos principais órgãos do crustáceo ao longo de tão grande de período de tempo.

Pesquisadores trabalhando com Siveter encontraram o ostracode em Herefordshire, e descobriram que ele tinha-se mineralizado rapidamente, de tal modo que a maior parte de seus tecidos corporais foram preservados. Eles aproveitaram a oportunidade para cortar a rocha em camadas muito finas e fotografar todas as camadas, o que permitiu uma completa reconstrução - e empurrou o conhecimento do grupo, para 200 milhões de anos atrás.


E o que é que eles descobriram? "Os pesquisadores estão intrigados quanto às razões pelas quais a antiga criatura é tão semelhante aos seus parentes modernos".

Suspiro. Enquanto os investigadores só tentarem confirmar o que eles acham que deve ser verdade, eles só vão continuar a ficar mais e mais "perplexos" à medida que os anos vão passando.


Veja também:

Os Big Bangs da Biologia, aqui

A Explosão de Avalon - mais um enigma, aqui

Decisões críticas em Ciência: Director da Smithsonian x Explosão Cambriana, aqui

Perguntas em Evolução: Animais aparecem subitamente... e depois nada mais acontece... Porquê?, aqui

(por O'Leary)


E vejam ainda:

VIDEO de uma 'água viva de pente'

Ctenophora - Mais uma surpresa para os evolucionistas

0 comentários:

Postar um comentário





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução