Home Favoritos Donativos RSS
counter

 
domingo, 25 de maio de 2008

EXPELLED - opinião de William Dembski

william dembski expelled ben steinFIRST-PERSON: The difference 'Expelled' will make é um artigo da autoria de William Dembski sobre o filme Expelled. Foi escrito antes do filme ser exibido, mas agora, várias semanas após a sua estreia, continua a ser bem interessante a opinião dele sobre o filme, filme em que ele próprio é entrevistado:

Fort Worth, Texas (BP) - O novo filme de Ben Stein "Expelled: No Intelligence Allowed" estreia esta semana nas salas de cinema. Ele explora a perseguição generalizada - destruição dos meios de subsistência, carreiras e reputações - a cientistas que duvidam da teoria da evolução de Darwin e que pensam que é necessária inteligência para explicar a origem da vida e seu desenvolvimento.

Este filme está envolto em controvérsia. As críticas tendem a ser extremamente positivas ou extremamente negativas. Quem é que gosta dele? As pessoas que pensam que Deus pode ter tido algo a ver com a nossa existência neste mundo, e que por conseguinte acham razoável que Deus possa ter deixado evidências tangíveis da Sua participação na criação. Quem é que o odeia? Uma elite na ciência, na educação e nos meios de comunicação, que prefere que Deus não tenha tido nada a ver com isso e que pensam que a natureza tem que fazer toda a sua própria criação.

Quem é que está certo? Essa é a pergunta errada.
Qualquer pessoa que tenha estudado a história da ciência conhece a "indução pessimista". A indução pessimista diz que todas as teorias científicas do passado demonstraram estar erradas a determinado nível e precisaram ser modificadas (algumas estavam tão erradas que tiveram que ser abandonadas por completo). Nenhuma teoria científica está escrita em pedra. Nenhuma teoria científica deve ser venerada. Toda a teoria científica devia de vez em quando ser submetida a um escrutínio rigoroso. Isso é saudável para a ciência.

O filme Expelled, pelo contrário, realça o estado doentio da ciência contemporânea quanto às origens biológicas. A nossa elite intelectual isolou a evolução Darwinista do escrutínio científico. Para além disso institucionalizou a intolerância a qualquer crítica lhe seja feita. O Expelled documenta esta intolerância institucionalizada e desmascara assim a hipocrisia de uma classe intelectual que finge dar valor à liberdade de pensamento e de expressão, mas que a corta sempre que ela entra em conflito com os seus ideais seculares profundamente enraizados.

Felizmente, o Expelled também sugere uma forma de avançar no debate sobre as origens biológicas. A coisa mais surpreendente que os telespectadores aprendem ao assistir o filme é a fragilidade das evidências científicas quanto a se pensar que a vida pode ser explicada sem uma inteligência projectista . Tome-se como exemplo a opinião sobre o filme de Jeffrey Kluger na Time Magazine:

"Ele [Stein] comete todos os erros habituais que cometem todos os não-cientistas sempre que tentam deitar abaixo evolução, perguntando, por exemplo, como é que algo tão complexo como uma célula viva poderia ter surgido formada a partir da sopa primordial da Terra. A resposta é que não poderia - e não surgiu assim. Produtos químicos orgânicos precisam de ser agitados e cozinhados lentamente ao longo de eons antes que eles possam produzir compostos que possam começar a levar-nos a uma coisa viva. "

Como é que é? Tome alguns produtos químicos orgânicos, cozinhe-os lentamente, dê o tempo suficiente, e aparece vida? Esta não é uma teoria científica. Este é um artigo de fé especulativa.

No filme Expelled, Stein entrevista cientista ateu após cientista ateu, e todos eles admitem que não fazem a mínima ideia de como a vida surgiu. Não existe nenhuma teoria materialista da origem da vida, e quem sugerir o contrário está a fazer bluf. Ao criar espaço conceptual para o Design Inteligente, Stein, e não os defensores dogmáticos de Darwin, luta pela verdadeira liberdade de pensamento e de expressão.

Vai o filme ter sucesso na abertura dos debates sobre a evolução e o Design Inteligente? Aqui temos que ser realistas. Tal como Thomas Kuhn, no seu "Structure of Scientific Revolutions", claramente documentou, aqueles que apoiam o status quo raramente alteram os seus pontos de vista (e o Darwinismo é o status quo). Ou, como diz Kuhn, um novo paradigma científico (neste caso o Design Inteligente) tem sucesso com os túmulos da guarda antiga. Não espere que a comunidade científica e as elites intelectuais se virem para o Design Inteligente em resposta a este filme. Se há alguma coisa a esperar, é uma reacção adversa.

Mas OK. As massas, nas quais eu me coloco a mim mesmo, vão adorar o filme. As pessoas comuns, que frequentemente pagam o salário dos Darwinistas através dos seus dólares de impostos, irão ficar justamente revoltados. Eles vão ver que basta: Eles já não vão ser intimidados por um Richard Dawkins, que lhes diz que se não assinarem por baixo da evolução darwinista, que eles são estúpidos, ímpios, ignorantes ou dementes. Eles vão começar a exigir que a evolução seja ensinada honestamente - com verrugas e tudo. E os jovens serão incentivados a assumir carreiras na ciência para restabelecer a sua saúde e integridade.

O impacto do Expelled será sentido imediatamente. Mas os seus efeitos a longo prazo serão ainda maiores. O filme começa com imagens do Muro de Berlim a subir e acaba com ele a vir abaixo. O dia em que o darwinismo e o Design Inteligente poderem ser discutidos sem medo de represálias representa a remoção de uma barreira ainda maior do que a do Muro de Berlim. Quando futuros historiadores intelectuais descreverem os principais eventos que levaram à queda do "Muro de Darwin", o Expelled de Ben Stein estará no topo da lista.


Realmente é engraçado o que diz esse tal Jeffrey Kluger na Time Magazine. E ilustra bem o tipo de raciocínio produzido pela maior parte dos evolucionistas/materialistas/naturalistas no que diz respeito à muleta do tempo:

"Produtos químicos orgânicos precisam de ser agitados e cozinhados lentamente ao longo de eons antes que eles possam produzir compostos que possam começar a levar-nos a uma coisa viva."

O autor acha que está a ser inteligente e que está a mostrar a ignorância de Ben Stein de um elemento essencial e garante do processo - eons de tempo. Mas ele não faz mais do que ilustrar bem a substituição de evidência de dados empíricos por fé científica - coisa que os não-cientistas, sem falar nos cientistas, certamente considerarão objectável.



Mais alguns posts sobre o filme Expelled:

EXPELLED - trailer ( LEGENDADO )


Clip do Filme Expelled - As Mutações Genéticas

Clip do Filme Expelled - A Célula

Clip do Filme Expelled - A Informação

0 comentários:

Postar um comentário





Related Posts with Thumbnails
A origem da vida não é consensual. A evolução dos seres vivos não é consensual. A teoria de Lamarck, a teoria de Darwin, e outras, propuseram a transformação dos seres vivos ao longo do tempo.

Mas o evolucionismo e o darwinismo não explicam de forma satisfatória a complexidade dos seres vivos. A biologia molecular e a biologia celular revelam mecanismos cuja origem os darwinistas nem se atrevem a tentar explicar.


Este blog trata de Design Inteligente, Darwinismo e Teoria da Evolução